Dr José Albino - Endocrinologista

Novos remédios para emagrecer

Artigos,Destaques
Novos remédios para emagrecimento

Novos remédios para emagrecimentoComo tenho enfatizado em outros artigos o tratamento para readquirir um novo peso passa por mudanças em nossas rotinas e estilo de vida e um comprometimento para efetuar estas mudanças.  Para mim as medicações são um fator importante para ajudar nesta reorganização.  São um meio e não um fim.

No tratamento  da obesidade o arsenal medicamentoso ficou restrito após a retirada do mercado da lorcaserina (Belviq) uma decisão da ANVISA, após a suspensão pelo FDA.

Em outubro de 2021 o STF suspendeu o uso da Anfepramona (Dietilpropiona) e do Femproporex,  medicamentos seguros com experiência de mais de 30 anos mesmo com a posição contraria do Conselho Federal de Medicina e as principais Sociedades Medicas de Endocrinologia e Obesidade.

Tanto os endocrinologistas como os pacientes aguardam por novos medicamentos para o tratamento da obesidade.

Em fase de pesquisa que serão lançados nos próximos anos temos  o cetilistat (semelhante ao xenical), setmelanotida (agonista do receptor sintético da melanocortina), o  Empatic (zonisamida-bupropiona), a tesofensina ( inibe a recaptação sináptica de serotonina, noradrenalina e dopamina)  e  o metilfenidato (usado para deficit de atenção) e mais recentemente o canabiol  está em fase 2 de ensaios para hiperfagia.

O  FDA aprovou a liraglutida  para tratamento em pacientes obesos não diabéticos na dose de 3.0 mg, lançada no  Brasil com o nome comercial de Saxenda. No Brasil o Saxenda foi aprovado pela ANVISA em março de 2016.

Em final de 2018 a ANVISA aprovou o primeiro remédio para compulsão alimentar, a lisdexanfetamina (Venvanse).

Em junho de 2021 a Food and Drug Administration dos EUA aprovou a injeção de Wegovy (semaglutida) (2,4 mg uma vez por semana).

Em dezembro de 2022 A Anvisa aprovou a combinação de bupropiona e naltrexone (Contrave) para uso no Brasil.

Há novos medicamentos como a associação de topiramato com fentermina (Qsymia)  já aprovado pelo FDA.

A Tirzepatidatem ação dupla nos receptores de GLP-1 e GIP (outro hormônio intestinal) e ajuda na redução do apetite. O seu uso também é subcutâneo, uma vez na semana. Até o momento, foi aprovada nos EUA apenas para pacientes com diabetes tipo 2. Porém, há estudos que apontaram perda média de 20,9% do peso basal com dose máxima, sendo que 57% dos pacientes emagreceram mais que 20%.

O Bimagrumab é um anticorpo monoclonal que age reduzindo a gordura corporal e aumentando massa muscular. A nova molécula traz perspectivas promissoras no combate à obesidade. Um estudo fase 2 em 75 pacientes portadores de diabetes tipo 2 mostrou perda média de massa gorda de 20,5% (7,5 kg), com ganho médio de massa magra de 3,6% (1,7 kg). Mais estudos são necessários para determinar segurança da medicação.

Medicações devem ser indicadas pelo médico e necessita acompanhamento durante todo o tratamento.  O tratamento tem que ser personalizado .

Com certeza nos próximos anos poderemos ter uma ideia melhor do potencial destas novas medicações.

 

Novos remédios para emagrecer.

Em caso de dúvida procure Dr José Albino Médico Endocrinologista em Florianópolis.
Santa Catarina

Compartilhe!

Mais recentes

Marque uma consulta!

Em caso de dúvida procure Dr José Albino Médico Endocrinologista em Florianópolis/SC.